sexta-feira, 13 de setembro de 2013

IPÊ-AMARELO - A FLOR SÍMBOLO do BRASIL.


Ipê-amarelo - o símbolo da nossa Pátria.

A árvore brasileira mais conhecida, mais cultivada e; para a maioria dos brasileiros; a mais bela, é justamente a árvore símbolo do nosso país: o Ipê-amarelo.

Não há região do país onde não exista pelo menos uma espécie dele. Mas, na verdade, o Ipê compreende um complexo de nove ou dez espécies com características mais ou menos semelhantes, com flores brancas, amarelas, rosas ou roxas.

Os Ipês amarelo, rosa, branco e o roxo.

A espécie Tabebuia alba, nativa do Brasil, é uma das espécies do gênero Tabebuia que possui “Ipê Amarelo” como nome popular. O nome alba provém de albus (branco em latim) e é devido ao branco dos ramos e folhas novas.

Ipê-amarelo ou Tabebuia alba, nativa brasileira.

Assim as denominações mais conhecidas são:
do ipê amarelo da Flor Nacional - (Tabebuia vellosoi); do ipê-amarelo mais comum em todo país ( Tabebuia serratrifolia ) , o ipê-amarelo-da-serra (ouro ou mandioca) (Tabebuia alba);  Tabebuia aurea, uma espécie de ipê-amarelo nativa dos cerrados, da caatinga e do Pantanal Mato-Grossense; do ipê-roxo (Tabebuia avellanedae ) , do ipê-branco (Tabebuia roseo-alba ) e do rosa (Tabebuia rosea ).

"Caminho de Ipês"Tabebuia chrysotricha - Reserva
Ambiental da EMBRAPA Suínos e Aves Concórdia - SC. 


A Tabebuia chrysotricha é uma das espécies nativas de ipê-amarelo que ocorre na Mata Atlântica, desde o Espírito Santo até Santa Catarina. Este nome científico (chrysotricha) é devido à presença de densos pêlos cor de ouro nos ramos novos.

Ipê Verde
Há até mesmo um ipê verde (Cybistax antisyphilitica ), que não é do gênero Tabebuia, cuja florada se confunde com a folhagem.

Conhecendo o IPÊ

Ipê-amarelo
Nomes comuns: ipê-amarelo, ipê-do-cerrado, pau-d’arco amarelo.
Nome Científico:
  - Tabebuia vellosoi - a da Flor Nacional (flores amarelas)
  - Tabebuia serratifolia - a mais comum (também flores amarelas)
Família: Bignoniaceae
Etimologia: ‘tabebuia’, do tupi, significa pau que não afunda; ‘serratifolia’ descreve suas folhas de bordas serreadas.
Hábito: árvore de grande porte (entre oito e 20m), decídua.
Conservação: árvore protegida, juntamente com outros ipês, como Patrimônio Ambiental.
Raiz: profunda pivotante.
Tronco:de 40 a 70 cm de diâmetro
Copa: colunar arredondada.
Sombreamento: médio.
Folha: composta, margens serreadas, variando entre cinco e 18 cm de comprimento e 3 a 7 cm de largura.
Flor: cinco pétalas fundidas, amarelas em cacho, muito vistosas, que surgem entre julho e novembro.    Possuem em média 8x15 cm. Sendo a polinizadas é feita por abelhas e pássaros.
Fruto: Vagem de 35 cm, verde e lisa ou cápsulas secas, verrucosas, cilíndricas, castanhas, anuais (set/out/nov/dez/jan).
Sementes: Aladas, brancas, pequenas com 3 cm de comprimento. São dispersas pelo vento.


Fruto "maduro" do Ipê,
 pronto para lançar as sementes

Como é a árvore

Encontrar o ipê em seu habitat natural, é cada vez mais raro entre a maioria das espécies, como então, é muito difícil encontrar uma árvore de ipê-amarelo em meio à mata nativa. Esta, se encontrada, poderia atingir até 30 metros de altura.

O ipê em flor no meio da mata, contrasta com o verde das outras árvores, um dos motivos da sua perseguição por parte de madeireiros: quando florido é fácil ser encontrado!


Imenso Ipê florido no Jardim Botânico de Curitiba PR

Os demais Ipês, dependendo da espécie, pode atingir entre 4 e 25 metros de altura. Possui lenho forte e resistente.
A planta é hermafrodita, e frutifica nos meses de setembro, outubro, novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, dependendo da sua localização. Em cultivo, a espécie inicia o processo reprodutivo após o terceiro ano.


Ipê-do-cerrado ou Tabeubuia aurea

O tronco do Ipê é reto ou levemente tortuoso, casca externa grossa, cinza-rosa, com fissuras longitudinais esparsas e profundas. A madeira possui cheiro e gosto distintos.

As flores  meleiras e por sua exuberância, atraem abelhas e pássaros, principalmente beija-flores e insetos de diversos portes incluindo a abelha Mamangava (Bombus morio), que são importantes agentes polinizadores.

Beija-flor um dos agentes polinizadores do Ipê.

Na floração, o ipê perde suas folhas, resultando num belíssimo espetáculo de intensa cor amarela, onde ramos e galhos praticamente desaparecem. A floração do Ipê-Amarelo (e da maioria dos Ipês) ocorre no mês de Agosto, no final do inverno, logo sua floração é influenciada por ele. Quanto mais frio e seco o clima, mais intensa a florada.

Semente aladas.
As sementes, dispersas pelo vento, não têm dormência. Podem apenas ser expostas ao sol por cerca de 6 horas, devem ser semeadas diretamente nos saquinhos. A germinação ocorre após trinta dias.

O ipê-amarelo é uma espécie heliófita (planta adaptada ao crescimento em ambiente aberto ou exposto à luz direta) e decídua (que perde as folhas em determinada época do ano).

Habitat Natural e denominações

No Norte, Leste e Nordeste do Brasil, são mais conhecidos como pau d’arco (os indígenas utilizavam a madeira para fazer arco e flecha); no Pantanal Mato-Grossense, como peúva (do tupi, árvore da casca); e, em algumas regiões de Minas Gerais e Goiás, como ipeúna (do tupi, una = preto).



Rio das Lontras na divisa entre as cidades
de São Pedro de Alcântara e Águas Mornas SC


Ocorrência
Da Tabebuia serratifolia: Floresta tropical úmida da região amazônica e atlântica, florestas estacionais, cerrado e cerradões

Distribuição:
Tabebuia serratifolia: DF, AP, AM, BA, CE, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PE, PI, RR, SP e TO.
Tabebuia vellosoi : Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Goiás e Rio de Janeiro.

Tronco médio a grosso, resistente.

Madeira
Sua madeira é resistente porém flexível, pesada, e tem grande durabilidade, mesmo em condições adversas É imune à maioria das pragas e às inundações.

Utilidades
Muito utilizado em paisagismo de parques e jardins pela beleza e porte e na arborização urbana; como em recuperação de áreas degradadas.

Casa antiga de madeira (tipo Ipê) Antonio Prado RS

Conhecidos por sua beleza e pela resistência e durabilidade de sua madeira, os ipês foram muito usados na construção de casas e telhados de igrejas dos séculos XVII e XVIII. E graças à estrutura feita com sua resistente madeira, casas e igrejas de 300, 400 anos permanecem de pé mesmo depois que a alvenaria e o telhado se foram. Se não fosse pelos ipês, muitas dessas construções teriam se  perdido com o tempo.


Porto Velho, capital de Rondônia, onde um Ipê
"poste" teima em  florescer a mais de 20 anos.


Até hoje a madeira do ipê é muito valorizada, sendo bastante utilizada na construção civil e naval; cercas, molduras, postes, tábuas, rodapés.
Também é utilizada para fabricação de dormentes, moirões, pontes, postes, eixos de roda, varais de carroça, moendas de cana, etc.

Os ipês também são usados para fins medicinais, embora o assunto seja visto com cuidado pela comunidade científica. No entanto, no século 19, Von Martius já relatava o uso do ipê contra sarna, artrite, leucorreia.

O cientista Walter Accorsi, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Piracicaba, São Paulo), e equipes multidisciplinares pesquisaram e concluíram: substâncias da casca do ipê-roxo são indicadas para leucemia, bronquite, infecção, úlceras, eczema, estomatite, neoplasias (câncer).


Linda Avenida de Ipês em Pato Branco - PR.

A Tabeubuia aurea, uma espécie de ipê-amarelo nativa dos cerrados, da caatinga e do Pantanal Mato-Grossense, é muito usada na medicina caseira em algumas regiões do país, principalmente no Nordeste. A entrecasca do caule é empregada no tratamento de gripes e resfriados e a casca, no tratamento de inflamações em geral. 

A casca do ipê-roxo curativa.


A casca da Tabebuia avellanedae, ipê-roxo que ocorre em todo o Brasil, é usada, sob a forma de chá, como diurético e no combate a infecções, ao impetigo, a alguns tipos de câncer, de lupus, doença de Parkinson, psoríase e alergias.

A entrecasca do ipê-amarelo possui propriedades terapêuticas como adstringente, usada no tratamento de garganta e estomatites. É também usada como diurético.

Será que era por todos esses efeitos curativos que os antigos incas chamavam o ipê de “planta mestra”? ou ela ainda guarda, além disso, maiores segredos...


Uma linda espécime de IPÊ nativo.

Daí da para deduzirmos que, encontrar um Ipê, principalmente em meio a uma mata nativa, deverá ser um motivo de agradecimento e reverência a uma das árvores mais bonitas, úteis e resistentes, cuja flor simboliza o Brasil.
_____   ***   _____

Se quiser ler sobre o Pau-brasil, a árvore que deu o nome ao nosso país e é nosso símbolo, clic:

Pesquisado e Compilado por Geni Mafra Souza
Principais fontes:
CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira.EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.
LORENZI, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil, vol. 01, 4 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002
RIZZINI, Carlos Toledo. Árvores e Madeiras Úteis do Brasil. Manual de Dendrologia Brasileira. São Paulo: Editora Edgard Gomide Blucher. 1971.

Com o auxílio dos sites:
www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=884...
www.almanaquebrasil.com.br/curiosidades.../7173-flor-nacional.html
pt.wikipedia.org/wiki/Ipê-amarelo-da-serra
naturezadivina.org/textos/ipe-amarelo-da-serra-tabebuia-alba/
http://www.ipef.br/identificacao/tabebuia.alba.asp

4 comentários:

  1. O Ipê amarelo, planta símbolo do Brasil, é maravilhoso e as prefeituras deveriam plantá-lo nas avenidas de nossas cidades, em praças,escolas portais etc.
    Seja qual for branco,amarelo,roxo ou rosa são maravilhosos.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada à você anônimo,

    Pela visita e por postar comentário. Realmente defendo antes ainda da plantação de Ipês, que tenhamos uma política pública em defesa de nossas grandes árvores, todas,principalmente as natívas e mais ainda os Ipês...Mas os prefeitos, infelizmente em sua maioria, não pensam assim porque proteger árvores parece que "não dá voto", até que nós, conscientes disso, façamos campanhas para aqueles que defendem estes seres vivos que estão entre os mais espirituais da terra...E tormamrmos atitudes de nós mesmos plantarmos. Já plantei muitos Ipês por onde passei...!

    Apareça mais vezes, será um prazer sua visita.
    Abraço fraterno de PAZ e LUZ!
    Gení

    ResponderExcluir
  3. Queria saber o nome de quem escreve a espécie do ipê.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá você que escreveu em 28/2/14

      Obrigada por acessar o blog MAGIA da ILHA e pelo comentário.
      As espécies são, normalmente, nomeadas por Botânicos/Biólogos/Ambientalistas ou afins, quando fazem o estudo das árvores.
      Apareça mais vezes, será um prazer sua visita.
      Fique na PAZ, LUZ e ALEGRIA dos Santos Seres!
      Abraços fraternos
      Gení

      Excluir