segunda-feira, 8 de setembro de 2014

DIAS MÁGICOS - 2ª quinzena de SETEMBRO

As comemorações citadas baixo fazem parte da cultura de algum povo, em alguma época e estão historicamente, segundo JUNG, no Inconsciente Coletivo...Relembrar, homenagear ou fazer um ritual não vejo como “uma superstição profana”, mas antes é não deixar morrer a história, os costumes, a cultura, as tradições populares ou a crença de nossos antepassados!

Relembrando o  lema do mês de Setembro que é:
"Para tomar decisões corretas, entre em contato com sua voz interior"

Festival de Dana-amor, coragem e sabedoria.
 
DIA 16-17 e 18 DE SETEMBRO -  FESTIVAL DE DANA

O Festival de Dana durava três dias e era muito importante na tradição celta. Nele, contata-se a Tríplice Deusa em seus aspectos: Amor, Coragem e Sabedoria - a Donzela, a Mãe e a Anciã. Por três dias, ou, pelo menos, num desses três dias, faça este ritual: acenda três velas para a Tríplice Deusa; uma branca para a donzela, uma rosa para a mãe e uma amarela para a anciã, diante de um incenso de rosa mística. Peça à Deusa que a acompanhe em seus três aspectos, dando-lhe a Coragem da Lua Crescente, o Amor da Lua Cheia e a Sabedoria, Virtude e Magia da Lua Minguante.

A deusa tríplice-donzela, mãe, anciã.

DIA 19 - DIA DE THOT

Thot era o primeiro entre os magos do Egito, deus da Sabedoria e da Magia. Todos os praticantes de Magia homenageiam-se em seu dia, 19 de setembro, para obter iluminação e fé. Homenageie Thot com os quatro elementos: uma vela lilás (Fogo), um incenso de Mirra (Ar), uma ametista (Terra) e uma taça com água. Se possível, use uma taça de cristal.( mas não se preocupe, se não tiver,  use uma taça de outro material, funciona assim mesmo!)

Thot-deus egípcio da Sabedoria
e da Magia.

Dia 20- Celebração da antiga deusa pré-helênica  Perse ou Perseis.

Chamada de "portadora da Luz" ou  "a Destruidora", era uma deusa lunar, esposa do Sol e filha do oceano, mãe das deusas Pasiphae e Circe. Parece que Perse originou o culto a Perséfone.

Ipê-Amarelo, uma das árvores 
símbolos do Brasil.

DIA 21  – Harvest Festival ou festa da colheita-Dia Internacional da PAZ.

 É a anual festa que ocorre em torno da época da principal colheita de uma determinada região, pode se estender por três dias e, normalmente corresponde a entrada da primavera (HS). No Brasil é comemorado o "DIA da ÁRVORE", embora ainda continuemos cortando árvores como nunca, tudo em nome do "progresso"

21 de setembro-Festival da Colheita-
Dia da Árvore no Brasil.
 
Dia 21 de Setembro também é o Dia Internacional da Paz. Este dia foi declarado pela ONU em 30 de novembro de 1981.
-Em 21 de Setembro de 2006, por ocasião do Dia Internacional da Paz, Kofi Annan afirmou:
"Há vinte e cinco anos, a Assembleia Geral [da ONU] proclamou o Dia Internacional da Paz como um dia de cessar-fogo e de não violência em todo o mundo. Desde então a ONU tem celebrado este dia, cuja finalidade não é apenas que as pessoas pensem na paz, mas sim que façam também algo a favor da paz." (wikipédia)

Que a PAZ esteja dentro de Cada Um de Nós,
que é onde ela começa!

DIA 22 - Dia de Gauri -Dia Mundial Sem Carro- EQUNÓCIOS-Primavera HS; Outono HN.

Na Índia, celebrava-se nete dia Gauri, um dos aspectos da deusa Durga. Acreditava-se que um ritual feito com mel neste dia levaria doçura e amor à alma. Reviva este antigo ritual fazendo receitas que levem mel, como pão da felicidade ou balas de mel e oferte às pessoas que desejar. Todo mel e doçura que você distribuir voltarão multiplicados para você.

Gauri-a deusa hindu da doçura e do amor.

Criado na França em 1998, o Dia Mundial Sem Carro, tem como objetivo fazermos uma Reflexão sobre o uso indiscriminado do carro, muitas vezes por uma única pessoa, causando sérios problemas ao meio ambiente. Hoje, repensemos outros meios alternativos de trânsito para diminuirmos a poluição ambiental, para o bem de todos. Leia mais:
http://magiadailha.blogspot.com/2011/09/dia-mundial-sem-carro-22-de-setembro.html




22 de SETEMBRO_ÓSTARA (HS) e MABON(HN)

A Óstara celta é o equinócio da primavera, que ocorre em 2014 as 23h29min horário de |Brasília no HS(enquanto que Mabon o equinócio de outono estará acontecendo no HN); onde ainda existe equilíbrio entre a luz e a escuridão, mas a luz prepara-se para crescer na primavera para chegar ao verão.
Se quer ler mais sobre equinócios acesse o link:
http://magiadailha.blogspot.com/2010/09/equinocios-de-setembro.html

Para receber a Primavera, use  flores.

Neste dia, se você mora no HS, para comemorar a Primavera, use uma roupas bem coloridas, na cor que mais gosta; encha sua casa de flores, de preferência naturais, faça uma comida onde use flores na mesa e na alimentação; pinte um ovo com a cor do seu desejo e deixe-o enfeitando uma planta de sua casa. No dia seguinte, faça uma receita com ele.
Para ler mais sobre Primavera acesse:
http://magiadailha.blogspot.com/2010/09/primaverahscelebrando-os-equinocios-de.html

 FELIZ PRIMAVERA e/ou FELIZ OUTONO!!!


Ostara e Mabon- setembro

E para ler sobre Outono:
 http://magiadailha.blogspot.com/2010/09/outonohncelebrando-os-equinocios-de.html

Dia 24-Dia de N. S. da Misericórdia, na Igreja Católica.
Antiga celebração a Odudua, a fonte criadora do panteão ioruba.


N.S. da Misericórdia-Escola de Siena-1350.

Dia 25-Na Grécia, a Festa dos Feijões, comemorando as deusas das estações: Horae ou Horas. Na Groelândia, Alaska e Sibéria comemoração esquimó da deusa Sedna, protetora dos mares profundos, senhora da vida e da morte, nutridora e guardiã de seu povo.
Celebração dos Serafins, os Anjos da Sabedoria. Festa budista para o Bodhisattva da Sabedoria.

Serafins_Anjos da Sabedoria

Dia 26- Comemoração de Cosme e Damião , no Brasil. Neste dia em algumas regiões costuma-se distribuir doces e balas as crianças (principalmente as mais carentes) em homenegem a estes dois santos gemêos: Cosme e Damião, que curavam as pessoas mais pobres e humildes.
Celebração da morte de Tammuz, o consorte da deusa Isthar, deus da vegetação da Babilônia, transformado pelos gregos em Adonis.


Cosme e Damião-os gemêos da Cura

Na Irlanda, no dia 26 de setembro, homenageava-se-Aibell, " a Encantadora", regente dos Sidhe, a colina encantada, morada das Fadas.

Aibell, a regente das fadas da Irlanda

Dia 27  - Nascimento de ATHENA  e outro dia de Cosme e Damião.

Athena é a deusa grega associada a coruja ou a oliveira representando a sabedoria. Hoje celebra-se seu nascimento. Acenda uma vela amarela sobre um prato de prata (ou prateado) e concentre-se na chama refletida pela vela. MEDITE para que essa chama acenda em você a LUZ do Conhecimento e da Sabedoria.

Hoje, para as religiões Afro-Brasileiras (Candomblé, Umbanda...), é comemorado COSME e DAMIÃO!

Athena-a deusa da sabedoria.

Dia 28- Celebração das deusas astecas da água e da fertilidade.

A mais conhecida era a deusa Chalchiuhtlicue, "a deusa com saia de jade", representada coberta de jóias de turquesa e jade,usando uma coroa com penas azuis e a saia enfeitada com lírios. Ela regia todas as águas.
No Peru, comemorava-se a deusa Mama Occlo, a deusa celeste que inventou a tecelagem e ensinou as mulheres. Dia de Saleeb, no Egito, celebrando o nível máximo do Nilo. Festa dos Salgueiros, na Mesopatânia, homenageando Mah, a deusa da Terra, da fertilidade e da Lua.


Chalchiuhtlicue-a deusa asteca
das Águas e da Fertilidade

Dia 29-Celebrava-se o Arcanjo Mikael

 Mikael (MIGUEL), inimigo das injustiças e maldades. Hoje, celebra-se junto os demais arcanjos, entre eles RAFAEL; o arcanjo da Cura e GABRIEL; o da Anúnciação.  


Os Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael

Ritual:- Sempre, e hoje especialmente, ore a esses Espíritos de Luz, para que lhe dê segurança, proteção, saúde, abençoando e defendendo, você e os seus; em especial a Miguel para que corte as amarras de sua vida com sua espada flamejante. 
 Se puder, hoje, acenda: uma vela azul, verde ou lilás, a cor dos arcanjos: azul-Miguel; Verde a Cura de Rafael e Lilás a espiritualidade de Gabriel.
Para ler mais sobre ritual dos arcanjos clic:
http://magiadailha.blogspot.com/2010/09/os-arcanjos-celebrados-em-2909.html

 Dia 30 de SETEMBRO - Festiva de THÊMIS

Thêmis é a deusa romana da justiça, destino e profecia e você pode pedir sua ajuda hoje para revelar-lhe algum mistério; ou se você tem algum problema pendente com a justiça, peça sua ajuda.
Ritual:-Acenda uma vela lilás e um incenso de jasmim e peça a Thêmis que lhe mostre a resposta para suas dúvidas e incertezas. Medite por algum tempo e relaxe. Thêmis trará a resposta.

Thêmis-deusa romana da Justiça
_____  ***  _____

Pesquisado e compilado por Geni Mafra Souza

Fontes de pesquisa:
- FAUR, Mirella - O Anuário da Grande Mãe- editora Gaia, 2º edição, 2001, São Paulo, SP.
- Calendário Wicca, editora Pensamento, diversas edições, São Paulo, SP.
- Almanaque do Pensamento, editora Pensamento/Cultrix Ltda, diversos edições, São Paulo, SP

Principais sites consultados:

Alguns sites das imagens

domingo, 7 de setembro de 2014

*- EQUINÓCIOS de Setembro e Março -*

  • Os equinócios ocorrem nos meses de  setembro e março e definem as mudanças de estação.
Os equinócios definem a mudança de estação.

No dia 22 de setembro de 2014, ocorre o equinócio do OUTONO no HN - o primeiro dia de outono- conhecido pelos antigos celtas por Mabon ou Angus; enquanto ocorre o equinócio da PRIMAVERA - Óstara ou Spring no HS, as 23h29min horário de Brasília

Na astronomia, equinócio é definido como um dos dois momentos em que o Sol, em sua órbita aparente, (como vista da Terra), cruza o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste).
Os equinócios e solstícios variam de ano para ano.

Levando-se em conta a posição da Terra com relação ao Sol, é que ocorrem: os Equinócios e Solstícios e que definem as mudanças de estação no planeta. Como a posição do sol é diferente nos hemisférios; as estações do ano aqui no hemisfério sul são invertidas, com relação ao hemisfério norte. Assim, quando lá é outono, aqui é primavera e vice-versa.

As datas dos equinócios variam a cada ano.

A palavra equinócio vem do latim=noites iguais

A palavra equinócio vem do Latim, aequus (igual) e nox (noite), e significa "noites iguais", ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo: 12 horas.

A cada dia que passa, o dia aumenta e a noite vai encurtando um pouco, aumentando, assim, a insolação do hemisfério respectivo, quando se entra na Primavera; ao contrário, o dia vai diminuindo e as noites aumentando, quando se entra no Outono, diminuindo a insolação.

Estas divisões das estações por equinócios e solstícios poderão ser fonte de equívocos, mas deve-se levar em conta a influência dos oceanos na temperatura média das estações.

A floração do Ipê, normalmente, marca
o fim do Inverno no Brasil.

A Primavera é a estação do ano que se segue ao Inverno e precede o Verão. É tipicamente associada ao reflorescimento da flora e da fauna terrestres.

No Brasil, o final do inverno é marcado pelo florescimentos dos lindos Ipês de diversas cores, uma das árvores símbolos do nosso país.

Mas os equinócios apresentam temas opostos: o de Primavera (óstara ou ostára) representa um período de descanso partindo para a ação ou iniciação.

Equinócio de Outuno -
preparação para o descanso.

Enquanto que o de Outono (mabon) representa uma preparação para o descanso ou repouso.


Os dois equinócios são pontos de equilíbrio. Dia e noite são iguais e a energia flui com firmeza.

As mais freqüentes aparições espectrais de certas assombrações acontecem em março e setembro, justamente na época dos equinócios. Os ocultistas reconhecem estes períodos como épocas de grande tensão psíquica.


Equinócios-quando
 os "portais são abertos".

Por um lado, essa informação pode até nos fazer pensar em uma contradição:
Como os equinócios podem representar tensão se eles são o símbolo do equilíbrio entre a luz e as trevas?

É que a tensão existente é  algo apenas aparente, pois, se analisarmos melhor a situação, vemos que os períodos de equilíbrio são épocas quando o véu entre o visível e o invisível está mais tênue, justamente por estarem em equilíbrio.

Nos equinócios "tudo pode acontecer"


Assim, podemos presumir que seja muito mais uma turbulência psíquica e psicológica, mas devemos tirar proveito dessas fases naturais, extraindo alegria ao invés de aflição.

Reflexão para a Mudança

Varra as pré-ocupações da sua vida

Procuremos encarar as mudanças como algo natural. Procuremos também curtir as coisas novas no caminho. O medo excessivo do novo atrapalha a vida. Medo de errar, medo de mudar, medo de investir na concretização de sonhos...
Quanto mais nos aprisionamos à autocrítica e desejo de perfeição, tentando controlar a vida, mais nos afastamos das lições simples que o Universo colocou no mundo que nos cerca.

Se observarmos a natureza, vamos com certeza ter mais força em nos manter em pensamentos e ações positivas porque o tempo todo a vida se transforma, renasce e se oferta às transformações. Por que não fazemos o mesmo?


Observe a Natureza e
 siga sua intuição- o espiritual.


Muito da cura espiritual
depende de nossas ações.

Não basta saber com a mente qual o caminho correto, precisamos de determinação para seguir por ele, mesmo quando aparentemente não estamos conseguindo alcançar nossos objetivos.


Deixe o "novo" nascer em você!


Devemos seguir o exemplo das sementes que fazem toda uma revolução debaixo da terra quebrando a casca e corajosamente se lançando à vida.

Vamos OUSAR e Fazer
esse outono/primavera mais feliz!

____   ***   ____
   
Leia também “Como Celebrar os equinócios” clicando para Primavera-no HS-: http://magiadailha.blogspot.com/2010/09/primaverahscelebrando-os-equinocios-de.html

e para ler sobre Outono -no HN- http://magiadailha.blogspot.com/2010/09/outonohncelebrando-os-equinocios-de.html

Compilado por Geni Mafra Souza

Meus estudos e pesquisas dos livros:
- FAUR, Mirella - O Anuário da Grande Mãe, editora Gaia, 2ª edição, 2001, São Paulo, SP.
-  Calendário Wicca, diversas edições, editora
   Pensamento
- Almanaque do Pensamento, diversas edições,
  editora Pensamento.

Com auxílio dos principais sites:

pt.wikipedia.org/wiki
Portal:Wicca/Roda_do_Ano
bruxaria.net/2009/03/07/mabon-equinocio-de-outono
br.geocities.com/dannyzangrossi/Paganismo/índex
www.misteriosantigos.com/rodadoano
morlovas@terra.com.br

Imagens de diversos sites da Net

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

ÁRVORES SÍMBOLOS do BRASIL - Pau-brasil -

Temos duas árvores símbolos no Brasil: o pau-brasil e o ipê-amarelo, cuja flor também é símbolo nacional.
Primeiro falarei do Pau-brasil e posteriormente do Ipê-amarelo

A árvore pau-brasil ou
Caesalpinia echinata

O Brasil é o único país do mundo batizado em função de uma árvore e parece incrível, mas a árvore que deu nome ao nosso país, só foi reconhecida como Árvore Nacional cinco séculos após o descobrimento.

Poucos brasileiros já tiveram o privilégio de ver uma árvore de pau-brasil. Isso porque as regiões onde eram encontradas grandes quantidades desta espécie sofreram um violento processo de devastação que praticamente fez com que o pau-brasil fosse incluído na lista das espécies ameaçadas de extinção. Porém, graças a algumas iniciativas louváveis no campo da preservação do meio ambiente, nos últimos anos, nossa árvore aos poucos vai tentando recuperar seu status de cidadã brasileira.

Pau-brasil - nossa árvore símbolo
pela lei de 1978.

Foi necessária a sua quase extinção para que o pau-brasil fosse reconhecido oficialmente na história brasileira. Em 1961, o presidente Jânio Quadros aprovou um projeto declarando o pau-brasil como árvore símbolo nacional e o ipê como flor símbolo.

Em 1972  é realizado um substituto do projeto que fica no "esquecimento" e somente em 1978 o Pau-brasil foi declarado oficialmente "árvore nacional" pela lei n.º 6.607. A mesma lei instituiu o dia 3 de maio como o Dia do Pau-Brasil, e a flor do Ipê-amarelo como "flor nacional". Esta lei obriga, também, o Ministério da Agricultura a plantar viveiros da espécie pau-brasil.

Após séculos de exploração desenfreada, o Pau-brasil é tão raro que maioria dos brasileiros nunca o viu. E você, o que conhece sobre o Pau-brasil?

Vamos estudar melhor a árvore que nos representa...

Antigo e raro espécime de Pau-brasil

Nome Científico: Caesalpinia echinata
Sinonímia: Guilandina echinata
Família: Fabaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Brasil
Ciclo de Vida: Perene
Nome Popular: Pau-brasil, brasileto, ibirapitanga, ibirapiranga, ibirapita, ibirapitã, muirapiranga, imirá piranga, orabutã, arabutá, sapão, pau-de-pernambuco, pau-de-tinta, pau-pernambuco, pau-rosado, pau-vermelho...

As lindas e perfumadas flores amarelas
com vermelho do pau-brasil.

Como é a árvore?

O Pau-brasil pode chegar a 30m de altura, tem folhas miúdas e verde-brilhantes que nascem agrupadas. Sua época de florada ocorre do fim de setembro até meados de outubro e suas flores, formadas por quatro pétalas amarelo-ouro que rodeiam uma diferente, tingida de vermelho púrpura, emanam um perfume delicado.
Acúleos-espinhos

Seu fruto é uma vagem que libera sementes em forma de elipse. O tronco é espinhoso (acúleos) e a casca varia de pardo-rosada a pardo-acinzentada. O fruto é totalmente coberto por acúleos (espinhos) curtos e finos. A árvore tem uma vida longa e só chega à idade adulta aos 100 anos! É ótima para o paisagismo.

O corante vermelho
O tronco do pau-brasil apresenta o cerne de coloração avermelhada. O poder símbólico do vermelho remonta as civilizações mais antigas, por ser cor do sangue e do fogo, tinham também significado de vida e de destruição; de poder. Esta era a cor usada pelos Imperadores e esse foi um fato importante que levou ao corte do pau-brasil para a obtenção de sua madeira e sua resina - a brasilina (C16H14O5), substância que, após oxidação, fornece a brasileína (C16H12O5), corante vermelho natural usado para tingir tecidos de alto luxo, como o veludo, apreciado pela monarquia e pela alta corte. Esta foi a primeira atividade econômica dos colonos portugueses na recém-descoberta Terra de Santa Cruz, no século XVI.


Mapas comparativos da Mata Atlântica (5 anos atrás!)

Habitat natural e exploração

A Mata Atlântica é o habitat natural dessa árvore, mas infelizmente é muito difícil encontrá-lo na natureza. Em 1928 o Pau-brasil chegou a ser considerado extinto, quando biólogos encontraram um único exemplar no interior de Pernambuco, onde hoje fica a Estação Ecológica de Tapacurá pertencente a Universidd Federal de Pernambuco UFRP.

Em 2005, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) identificaram na Paraíba a maior população de pau-brasil ao norte do País. A expedição encontrou mais de 100 árvores ainda intocadas num remanescente de Mata Atlântica, com 200 hectares, em Mamanguape, 60 quilômetros ao norte de João Pessoa.

Jardim Botânico de João Pessoa - Benjamim Maranhão -
antes - Mata do Buraquinho - Pb

Também no Jardim Botânico de João Pessoa (500 hectares) – que é considerado a maior área verde em ambiente urbano dos pais, parece haver algumas espécimes de pau-brasil.

 Ocorrência

Mata Atlântica, agora diminuta pela
exploração desordenada

Ao todo 1.300.000 km² ou cerca de 15% do território nacional eram cobertos por Mata Atlântica englobando 17 estados brasileiros, atingindo até o Paraguai e a Argentina. Porém, cerca de 93% de sua formação original já foi devastada, e junto com ela, todo o pau-brasil!

É encontrado do Ceará ao Rio de Janeiro na floresta pluvial Atlântica, sendo particularmente frequente no sul da Bahia.

O cerne vermelho do pau-brasil.

Madeira

A madeira do pau-brasil e de excelente qualidade, muito pesada, dura, compacta, vermelha e muito resistente; de textura fina, incorruptível.

Utilidade

Os índios brasileiros já utilizavam esta árvore para confecção de arcos, flechas, extraindo corante vermelho intenso do tronco.
A madeira atualmente é empregada somente para pequenas marcenarias e confecção de arcos de violino ( e outros instrumentos )

O arco do violino "precisa" do pau-brasil

Outrora foi muito utilizada na construção civil e naval e, trabalhos de torno. Entretanto, seu principal valor residia na produção de um princípio colorante denominado "brasileína", extraído do lenho e, na época muito usado para tingir tecidos e fabricar tinta de escrever. A sua exploração intensa gerou muita riqueza aos exploradores e caracterizou um período econômico de nossa história, que estimulou a adoção do nome "Brasil" ao nosso país.


Meus filhos e eu, à uns quatorze anos atrás, plantamos em nossa jardim duas mudas de pau-brasil. Uma sei que ainda está lá, embora cresça muito devagar...este ano já me propus plantar outra, no parque de meu bairro...
E você já viu algum pau-brasil? Já plantou algum? que tal plantarmos neste ano? O Brasil e a música agradecem!

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

IPÊ-AMARELO - A FLOR SÍMBOLO do BRASIL.


Ipê-amarelo - o símbolo da nossa Pátria.

A árvore brasileira mais conhecida, mais cultivada e; para a maioria dos brasileiros; a mais bela, é justamente a árvore símbolo do nosso país: o Ipê-amarelo.

Não há região do país onde não exista pelo menos uma espécie dele. Mas, na verdade, o Ipê compreende um complexo de nove ou dez espécies com características mais ou menos semelhantes, com flores brancas, amarelas, rosas ou roxas.

Os Ipês amarelo, rosa, branco e o roxo.

A espécie Tabebuia alba, nativa do Brasil, é uma das espécies do gênero Tabebuia que possui “Ipê Amarelo” como nome popular. O nome alba provém de albus (branco em latim) e é devido ao branco dos ramos e folhas novas.

Ipê-amarelo ou Tabebuia alba, nativa brasileira.

Assim as denominações mais conhecidas são:
do ipê amarelo da Flor Nacional - (Tabebuia vellosoi); do ipê-amarelo mais comum em todo país ( Tabebuia serratrifolia ) , o ipê-amarelo-da-serra (ouro ou mandioca) (Tabebuia alba);  Tabebuia aurea, uma espécie de ipê-amarelo nativa dos cerrados, da caatinga e do Pantanal Mato-Grossense; do ipê-roxo (Tabebuia avellanedae ) , do ipê-branco (Tabebuia roseo-alba ) e do rosa (Tabebuia rosea ).

"Caminho de Ipês"Tabebuia chrysotricha - Reserva
Ambiental da EMBRAPA Suínos e Aves Concórdia - SC. 


A Tabebuia chrysotricha é uma das espécies nativas de ipê-amarelo que ocorre na Mata Atlântica, desde o Espírito Santo até Santa Catarina. Este nome científico (chrysotricha) é devido à presença de densos pêlos cor de ouro nos ramos novos.

Ipê Verde
Há até mesmo um ipê verde (Cybistax antisyphilitica ), que não é do gênero Tabebuia, cuja florada se confunde com a folhagem.

Conhecendo o IPÊ

Ipê-amarelo
Nomes comuns: ipê-amarelo, ipê-do-cerrado, pau-d’arco amarelo.
Nome Científico:
  - Tabebuia vellosoi - a da Flor Nacional (flores amarelas)
  - Tabebuia serratifolia - a mais comum (também flores amarelas)
Família: Bignoniaceae
Etimologia: ‘tabebuia’, do tupi, significa pau que não afunda; ‘serratifolia’ descreve suas folhas de bordas serreadas.
Hábito: árvore de grande porte (entre oito e 20m), decídua.
Conservação: árvore protegida, juntamente com outros ipês, como Patrimônio Ambiental.
Raiz: profunda pivotante.
Tronco:de 40 a 70 cm de diâmetro
Copa: colunar arredondada.
Sombreamento: médio.
Folha: composta, margens serreadas, variando entre cinco e 18 cm de comprimento e 3 a 7 cm de largura.
Flor: cinco pétalas fundidas, amarelas em cacho, muito vistosas, que surgem entre julho e novembro.    Possuem em média 8x15 cm. Sendo a polinizadas é feita por abelhas e pássaros.
Fruto: Vagem de 35 cm, verde e lisa ou cápsulas secas, verrucosas, cilíndricas, castanhas, anuais (set/out/nov/dez/jan).
Sementes: Aladas, brancas, pequenas com 3 cm de comprimento. São dispersas pelo vento.


Fruto "maduro" do Ipê,
 pronto para lançar as sementes

Como é a árvore

Encontrar o ipê em seu habitat natural, é cada vez mais raro entre a maioria das espécies, como então, é muito difícil encontrar uma árvore de ipê-amarelo em meio à mata nativa. Esta, se encontrada, poderia atingir até 30 metros de altura.

O ipê em flor no meio da mata, contrasta com o verde das outras árvores, um dos motivos da sua perseguição por parte de madeireiros: quando florido é fácil ser encontrado!


Imenso Ipê florido no Jardim Botânico de Curitiba PR

Os demais Ipês, dependendo da espécie, pode atingir entre 4 e 25 metros de altura. Possui lenho forte e resistente.
A planta é hermafrodita, e frutifica nos meses de setembro, outubro, novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, dependendo da sua localização. Em cultivo, a espécie inicia o processo reprodutivo após o terceiro ano.


Ipê-do-cerrado ou Tabeubuia aurea

O tronco do Ipê é reto ou levemente tortuoso, casca externa grossa, cinza-rosa, com fissuras longitudinais esparsas e profundas. A madeira possui cheiro e gosto distintos.

As flores  meleiras e por sua exuberância, atraem abelhas e pássaros, principalmente beija-flores e insetos de diversos portes incluindo a abelha Mamangava (Bombus morio), que são importantes agentes polinizadores.

Beija-flor um dos agentes polinizadores do Ipê.

Na floração, o ipê perde suas folhas, resultando num belíssimo espetáculo de intensa cor amarela, onde ramos e galhos praticamente desaparecem. A floração do Ipê-Amarelo (e da maioria dos Ipês) ocorre no mês de Agosto, no final do inverno, logo sua floração é influenciada por ele. Quanto mais frio e seco o clima, mais intensa a florada.

Semente aladas.
As sementes, dispersas pelo vento, não têm dormência. Podem apenas ser expostas ao sol por cerca de 6 horas, devem ser semeadas diretamente nos saquinhos. A germinação ocorre após trinta dias.

O ipê-amarelo é uma espécie heliófita (planta adaptada ao crescimento em ambiente aberto ou exposto à luz direta) e decídua (que perde as folhas em determinada época do ano).

Habitat Natural e denominações

No Norte, Leste e Nordeste do Brasil, são mais conhecidos como pau d’arco (os indígenas utilizavam a madeira para fazer arco e flecha); no Pantanal Mato-Grossense, como peúva (do tupi, árvore da casca); e, em algumas regiões de Minas Gerais e Goiás, como ipeúna (do tupi, una = preto).



Rio das Lontras na divisa entre as cidades
de São Pedro de Alcântara e Águas Mornas SC


Ocorrência
Da Tabebuia serratifolia: Floresta tropical úmida da região amazônica e atlântica, florestas estacionais, cerrado e cerradões

Distribuição:
Tabebuia serratifolia: DF, AP, AM, BA, CE, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PE, PI, RR, SP e TO.
Tabebuia vellosoi : Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Goiás e Rio de Janeiro.

Tronco médio a grosso, resistente.

Madeira
Sua madeira é resistente porém flexível, pesada, e tem grande durabilidade, mesmo em condições adversas É imune à maioria das pragas e às inundações.

Utilidades
Muito utilizado em paisagismo de parques e jardins pela beleza e porte e na arborização urbana; como em recuperação de áreas degradadas.

Casa antiga de madeira (tipo Ipê) Antonio Prado RS

Conhecidos por sua beleza e pela resistência e durabilidade de sua madeira, os ipês foram muito usados na construção de casas e telhados de igrejas dos séculos XVII e XVIII. E graças à estrutura feita com sua resistente madeira, casas e igrejas de 300, 400 anos permanecem de pé mesmo depois que a alvenaria e o telhado se foram. Se não fosse pelos ipês, muitas dessas construções teriam se  perdido com o tempo.


Porto Velho, capital de Rondônia, onde um Ipê
"poste" teima em  florescer a mais de 20 anos.


Até hoje a madeira do ipê é muito valorizada, sendo bastante utilizada na construção civil e naval; cercas, molduras, postes, tábuas, rodapés.
Também é utilizada para fabricação de dormentes, moirões, pontes, postes, eixos de roda, varais de carroça, moendas de cana, etc.

Os ipês também são usados para fins medicinais, embora o assunto seja visto com cuidado pela comunidade científica. No entanto, no século 19, Von Martius já relatava o uso do ipê contra sarna, artrite, leucorreia.

O cientista Walter Accorsi, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Piracicaba, São Paulo), e equipes multidisciplinares pesquisaram e concluíram: substâncias da casca do ipê-roxo são indicadas para leucemia, bronquite, infecção, úlceras, eczema, estomatite, neoplasias (câncer).


Linda Avenida de Ipês em Pato Branco - PR.

A Tabeubuia aurea, uma espécie de ipê-amarelo nativa dos cerrados, da caatinga e do Pantanal Mato-Grossense, é muito usada na medicina caseira em algumas regiões do país, principalmente no Nordeste. A entrecasca do caule é empregada no tratamento de gripes e resfriados e a casca, no tratamento de inflamações em geral. 

A casca do ipê-roxo curativa.


A casca da Tabebuia avellanedae, ipê-roxo que ocorre em todo o Brasil, é usada, sob a forma de chá, como diurético e no combate a infecções, ao impetigo, a alguns tipos de câncer, de lupus, doença de Parkinson, psoríase e alergias.

A entrecasca do ipê-amarelo possui propriedades terapêuticas como adstringente, usada no tratamento de garganta e estomatites. É também usada como diurético.

Será que era por todos esses efeitos curativos que os antigos incas chamavam o ipê de “planta mestra”? ou ela ainda guarda, além disso, maiores segredos...


Uma linda espécime de IPÊ nativo.

Daí da para deduzirmos que, encontrar um Ipê, principalmente em meio a uma mata nativa, deverá ser um motivo de agradecimento e reverência a uma das árvores mais bonitas, úteis e resistentes, cuja flor simboliza o Brasil.
_____   ***   _____

Se quiser ler sobre o Pau-brasil, a árvore que deu o nome ao nosso país e é nosso símbolo, clic:

Pesquisado e Compilado por Geni Mafra Souza
Principais fontes:
CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira.EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.
LORENZI, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil, vol. 01, 4 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002
RIZZINI, Carlos Toledo. Árvores e Madeiras Úteis do Brasil. Manual de Dendrologia Brasileira. São Paulo: Editora Edgard Gomide Blucher. 1971.

Com o auxílio dos sites:
www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=884...
www.almanaquebrasil.com.br/curiosidades.../7173-flor-nacional.html
pt.wikipedia.org/wiki/Ipê-amarelo-da-serra
naturezadivina.org/textos/ipe-amarelo-da-serra-tabebuia-alba/
http://www.ipef.br/identificacao/tabebuia.alba.asp